Empresas de Itabuna demitiram mais do que contrataram


Os dados divulgados, nesta quarta-feira (24), pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) revelam que as empresas instaladas em Itabuna voltaram a demitir mais que contratar funcionários. Em março, os setores do município do sul da Bahia que mais sofreram com a crise na econômica brasileira foram comércio e serviços. Juntos, eliminaram 179 vagas. 

O registrou, no mês passado, 270 desligamentos e 198 contratações, o que representou o fechamento de 72 postos de trabalho com carteira assinada. A situação foi ainda pior no setor de serviços, que registrou 334 demissões contra 227 admissões, com eliminação de 107 empregos. Na agropecuária foram suprimidas outras 17 vagas. No geral, Itabuna registrou saldo negativo de 181 postos em março. No acumulado do trimestre, as empresas instaladas em Itabuna fizeram 2.034 contratações e eliminaram 2.219 empregos formais. 

O pior resultado no período foi no setor de serviços, que perdeu 206 vagas; seguido do comércio, que suprimiu outras 107. Nos últimos 12 meses, o saldo de empregos no município também é negativo (-889). Em Ilhéus, o prejuízo para os trabalhadores foi um pouco menor. Houve a eliminação de 59 vagas, com resultados negativos na agropecuária (-23), serviços (-18), serviço industrial de utilidade pública (-14), comércio (-3) e construção civil (-2). 

No acumulado do primeiro trimestre, o saldo é negativo em 85 postos de trabalho, resultado provocado por desempenho ruins em setores como agropecuária (-50) e comércio (-33). Outros setores com resultados ruins no período foram de serviços (-32) e serviço de utilidade pública (-32). No primeiro trimestre, a construção civil apresentou o melhor desempenho, com saldo positivo de 64 postos de trabalho. No geral, no acumulado dos últimos 12 meses, Ilhéus tem saldo positivo de 544 vagas.

0 comentários:

Postar um comentário

Não sera permitido a publicação de comentário com palavra de baixo calão.