Lepra contamina moradores de Itabuna já em 2019

Terminou nesta quinta-feira (31), a campanha “Janeiro roxo – Hanseníase tem cura”, que alerta sobre a chamada lepra. A Secretaria de Saúde de Itabuna já diagnosticou dois casos da doença contagiosa em 2019, todos envolvendo moradores da cidade. Segundo o médico sanitarista Humberto Barreto, as pessoas devem ficar atentas a sintomas, como: manchas claras ou avermelhadas no corpo, em pontos que ficam dormentes. “O diagnóstico deve ser precoce; quando descobre no início, o tratamento é muito mais fácil”, alerta ele, lembrando que profissionais de saúde do município passaram por uma capacitação, para lidar com casos semelhantes. O profissional frisa, principalmente, que a doença tem tratamento e tem cura. Existem duas formas de tratamento. Nos casos em que aparecem poucas lesões e não contagiosos, o tratamento dura aproximadamente seis meses; já nas ocorrências contagiosas, o referido tratamento dura 12 meses. “É importante a pessoa levar o tratamento até o final. A doença logo no início deixa de ser contagiosa, mas o tratamento precisa ser completado”, ressaltou, em entrevista à TV Santa Cruz. O medicamento em ambas as manifestações é distribuído gratuitamente e a unidade de referência em Itabuna é a José Maria de Magalhães Neto, que atende a pessoas de várias cidades. Mas é possível acompanhamento em qualquer unidade de saúde da cidade.

(Diário Bahia)

0 comentários:

Postar um comentário

Não sera permitido a publicação de comentário com palavra de baixo calão.