Comunidade se manifesta na Câmara de vereadores para obter manutenção do Ciso


Pedindo a manutenção do ensino médio na região, a comunidade escolar do bairro de Fátima, em Itabuna, recorreu à Câmara Municipal nessa segunda, 03. Em audiência pública, pais, alunos e funcionários e representantes da APLB Sindicato criticaram o reordenamento de matrícula, pelo Governo baiano, que retira o 1º Ano do Ciso, um dos colégios mais tradicionais da cidade.
Na visão dos participantes, a medida, em curto prazo, desativará o ensino médio e, posteriormente, provocará o fechamento do colégio estadualizado. Eles refutaram a migração dos estreantes no ensino médio para unidades vizinhas, como a Inácio Tosta Filho, isso porque o Ciso, argumentam, possui infraestrutura para abrigar mais de três mil estudantes (hoje recebe 1400).
Como resultado da audiência, será encaminhado pela Câmara itabunense ofício ao secretário de Educação da Bahia, Walter Pinheiro, sugerindo a permanência das três séries do ensino médio na escola – com o fundamental, 6º a 9º Ano. O Ciso, que fez 50 anos em 2018, além de 40 salas de aulas dispõe de parque aquático e quadras poliesportivas, abertas inclusive à comunidade itabunense.

0 comentários:

Postar um comentário

Não sera permitido a publicação de comentário com palavra de baixo calão.