Denúncia feita pelo ministro público torna reú, acusado de assassinar Moa Katendê


Moa Katendê

A Justiça da Bahia acatou a denúncia do Ministério Público da Bahia (MP-BA) e tornou réu Paulo Sérgio Ferreira de Santana, o barbeiro acusado de assassinar o mestre de capoeira Moa do Katendê após uma discussão política no fim do primeiro turno das eleições presidenciais deste ano. 
O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) divulgou a decisão nesta terça-feira (23). Paulo Sérgio é acusado de homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. Já por ferir o primo de Moa do Katendê, Germino do Amor Divino Pereira, de 51 anos, que tentou defender o capoeirista das agressões, Paulo Sérgio é acusado de tentativa de homicídio duplamente qualificado.






0 comentários:

Postar um comentário

Não sera permitido a publicação de comentário com palavra de baixo calão.