Capoeirista morto por discussão política é enterrado hoje em Salvador

Moa Katendê

"Meu pai era meu tudo. Eu me preocupava com tudo com ele", conta emocionada Amonaí da Costa, filha do mestre de capoeira Moa do Katendê, de 63 anos. Ele foi morto a facadas após uma discussão sobre política, na madrugada desta segunda-feira (8), em Salvador.
Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), o caso ocorreu após a vítima se mostrar contrário ao candidato à Presidência da República escolhido pelo suspeito. O homem teria dito que é eleitor de Jair Bolsonaro (PSL) e Moa revelou que votava no PT. A declaração teria irritado o suspeito, que acabou esfaqueando o capoeirista.
Outro homem, de 51 anos, parente da vítima, também foi ferido no ataque. Ele foi identificado como Germínio do Amor Divino Pereira e está internado no Hospital Geral do Estado (HGE), com ferimento no braço. Não há detalhes do estado de saúde dele.
A filha do mestre de capoeira disse que o pai era uma pessoa calma e evitava brigas. "Ele não procurava briga com ninguém, era uma pessoa que apaziguava as situações, um historiador que trabalhava com cultura e música. Eu perdi minha mãe tem um mês, e ele estava me acalmando. Uma pessoa que estava me dando força para eu poder vencer", enfatizou.
Amonaí contou também que não estava com o pai no momento do crime e que ficou sabendo da situação por telefone. "Eu soube da notícia por volta da 0h30. Já me levantei da cama me tremendo toda, assustada. Quando cheguei aqui, encontrei meu pai desfalecido no chão, todo ensaguentado. Porque tanta violência? Tanta brutalidade, crueldade. Dia 29 de outubro era o aniversário de meu pai, e ele estava todo animado", disse.
Segundo a polícia, o suspeito identificado como Paulo Sérgio Ferreira de Santana, de 36 anos, confessou o crime. Ele foi apresentado à imprensa na manhã desta segunda-feira, no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Salvador.
Ainda segundo a Polícia Civil, Paulo Sérgio chegou em um bar, na localidade do Dique Pequeno, bairro do Engenho Velho de Brotas, e se envolveu em uma discussão com Moa. Após desentendimento, o autor da agressão saiu do estabelecimento, pegou uma arma branca na casa onde mora e retornou ao bar.

Itabuna 24 horas

0 comentários:

Postar um comentário

Não sera permitido a publicação de comentário com palavra de baixo calão.